organograma_red

Ageu Barros, Mar/20

ESTRATÉGIA 2020/21: CENÁRIO COVID, TELETRABALHO, etc

Na maioria das empresas, o Plano Estratégico 2020 foi construído durante o ano passado, quando ninguém enxergava qualquer cenário parecido com este  Cenário Covid que atropelou o mundo.

Como lidar com os gastos agora excessivos? A receita vai voltar? Qual o caminho para avaliar o impacto futuro? Como gerenciar o Teletrabalho? Como rever a Execução Estratégica? Qual a metodologia? Como ficam as metas? Até quando projetar?

Um roteiro com 5 checkpoints comentados segue abaixo:

Supply Chain Management Word Circle Concept with great terms such as value upstream logistics and more.

1) Ramo e Cadeia de Negócio – Em um cenário global de redução de consumo, a maioria das cadeias de negócio é afetada. Umas mais, outras menos. Porém, nesse caso específico do Cenário Covid, além da redução global de demanda, houve um interessante shift de consumo que beneficiou algumas cadeias e que estabeleceu uma tendência que deverá mexer com o mundo pelo menos até 2023, e talvez além. Entender a redução da demanda não é difícil, mas avaliar a tendência e a possível reversão da curva de demanda não deixa de ser um desafio. Entender a natureza do shift (troca de preferência) também não é difícil, mas mapear os desdobramentos desse movimento é quase impossível, cabendo apenas estimar cenários de comportamento social e fazer modelagem estratégica. Todo esse processo analítico depende também de uma definição do ponto em que sua empresa está na cadeia de valor em que opera. Dessa forma, a primeira pergunta, o primeiro checkpoint a ser avaliado é: qual o negócio da sua empresa? Consumo? Bens de Capital? Agro-based? Serviços? Serviços com/sem Capex? Serviços Opex/labor? Serviços Tech? Onde ela se situa na Cadeia de Valor desse negócio? Sua Empresa domina a Cadeia?

2) Strategic Business Unit & Value Chain –  Essa primeira pergunta sobre o negócio da empresa pode ser enganosa. Existem empresas com vários negócios sob uma mesma razão social, existem empresas com negócios que representam segmentos no meio de cadeias de valor que não dominam. Nesse primeiro caso, há que analisar cada negócio como uma Strategic Business Unit isolada, levando em consideração as sinergias. Identificar uma SBU pode ser complicado, exige segregar os mercados, os concorrentes, a tecnologia e a logística, por exemplo. Na segunda hipótese (pedaço de cadeia de valor), há que enxergar o futuro da cadeia inteira, para depois rever o papel dessa empresa. Um exemplo: distribuidores que compram de fábricas e revendem para o varejo miúdo, com margens em queda. Talvez seja o caso de introduzir um canal online de vendas. Existem ainda empresas mal concebidas desde o início. Um exemplo: existe um Shopping Mall no Brasil construído com erro de planta. Nesse momento de queda de demanda, seus lojistas terão ainda mais dificuldade. Talvez seja o caso de mexer na estrutura física e criar novas Business Units para viabilizar todo o empreendimento. De qualquer forma, o resultado dessa avaliação sobre o negócio em si vai fornecer insumos para  reconstruir o plano estratégico. Sem isso,  é impossível construir um Budget e tampouco lidar com a Execução Estratégica.  Sem reconstruir o Plano Estratégico, a própria noção de Valor, que orienta a Estratégia de Preço, fica comprometida.

3) SEIS MAIS SEIS: JAN/JUN – Estamos em maio de 2020 e o primeiro semestre já pode ser visto. Nesse momento, prepare-se para fazer uma projeção conhecida como 6 + 6, com 6 meses de Real e 6 meses de Orçamento. Caso prefira, faça um 3 + 9, com o primeiro trimestre real e o segundo trimestre estimado. De qualquer forma, além do saldo final de junho, projete o segundo semestre (até dez/2020) parecido com o trimestre abr/junho, embutindo  o Cenário Covid. Nesse momento, você já tem um quadro que mistura a realidade externa (queda de demanda) com a sua estrutura interna de custos, talvez inflados. Conforme o Business em que você opera, o Budget de 2020 mostrará prejuízo. Nesse momento, todavia, o prejuízo contábil pode não ser tão relevante, pois “Cash is king”. Caso seu nível de capital de giro esteja comprometido, uma operação de guerra, urgente, será necessária. Venda de ativos, suspensão de pagamentos e redução de fopag são as primeiras recomendações, conforme o ramo de negócio e o perfil (Custo Fixo vs. Custo Variável) da sua Empresa.

barra

4) OBZ/ZBB: O CENÁRIO COVID – Qualquer que seja o seu negócio, o segundo semestre não será igual ao que você orçou no ano passado, e nem parecido com o resultado do passo 3 acima. Chegou o momento de aplicar o Orçamento Base Zero, iniciando por uma Análise de Cenários e Estratégias cabíveis, seguida de uma revisão de investimentos, metas de venda e perfil de gastos. Essa projeção financeira deve alcançar 18 meses, com os 6 meses do segundo semestre revisados em base zero, e mais o ano de 2021 construído em base zero. Essa metodologia Base Zero tem a ver com a ideia de recomeço, com o estabelecimento de bases novas em termos de SBU (Strategic Business Unit), Organograma, Ponto de Equilíbrio Econômico (break-even point), e principalmente filosofia de gestão. Uma estrutura piramidal tradicional, com gestores autocráticos, provavelmente não vai viabilizar o futuro da Organização. Sua Empresa vai precisar de flexibilidade e isso só é possível com uma equipe capaz de trabalhar por Projetos, sem respeitar o organograma antigo. O teletrabalho exige líderes de verdade, capazes de manter o pessoal engajado e ativo.

evento

5) REORGANIZAÇÃO: Sistema de Decisões Colegiadas. Conforme colocado no item 4, sua Empresa precisa de uma estrutura ágil e flexível, com decisões rápidas e fundamentadas. Um Conselho Consultivo & Estratégico terá que ser criado, com pessoas que conhecem a Organização, que conhecem o Mercado, e que entendem de Delegação, Accountability, Reporting e Gestão por Projetos. E algumas reuniões semanais desse Conselho terão que ser online (usando Teams, Zoom ou outro software) com os Líderes de Projeto que estarão cuidando da Execução Estratégica. O mundo mudou, a velocidade gerencial necessária não é a mesma.

A Execução Estratégica deverá ser ágil, capaz de perceber as mudanças e reagir com presteza quando surgirem as Estratégias Emergentes.

Abaixo uma avaliação parcial e inconclusiva de alguns segmentes da Economia Brasileira, visando apenas estimular empresários e executivos na direção de avaliar a realidade que está posta em 2020. Essa pandemia vai afetar todo o mundo, não sabemos até quando, mas sabemos que algumas cadeias de negócio serão transformadas para sempre.

Sobre o autor

Ageu Barros

Diretor
Fechar Menu